segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Jornal Tribuna Hoje publicou reportagem sobre o projeto com Reutilização do lixo! Lixo Jóia!


TAMANHO DA LETRA A+ A-
Foto: Davi Salsa
Vestido feito de jornais é sensação em desfile de demonstração
Vestido feito de jornais é sensação em desfile de demonstração
Arapiraca (Sucursal) - Mãos hábeis impulsionadas por uma mente fértil e criativa transformaram a vida da psicopedagoga Djenane Costa d’Oliveira.
Monitora de artes do Centro de Referência e Assistência Social (Cras) da cidade de Marechal Deodoro, ela viu além dos entulhos e descartes e enxergou a oportunidade e alternativa de alavancar a renda da população carente com a qual trabalhava.
Outro ponto importante, é claro, o projeto contribui efetivamente com o ecossistema. Assim, reaproveitando objetos descartados ao lixo, Djenane Costa deu início a oficinas de reciclagem.
No começo, a ideia não foi bem aceita- sobretudo porque os usuários atendidos não conseguiam- de imediato- vender as peças.
Até que, finalmente, ela encontrou um público disposto a aprender e perseverar. Aconteceu no município de São Sebastião, onde ela passou a atuar como monitora do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti).
Com as crianças, ela colocou em prática o projeto Lixo Jóia.
 A partir daí, nasceram peças criativas e de baixo custo- facilmente absorvidas pela clientela.
São brincos e anéis multicoloridos, luminárias, ímãs de geladeira, utensílios domésticos, cestarias e até vestidos e edredons.
Hoje ela tem um ateliê em sua própria casa e conta com a ajuda do pai, Abdiel Costa, e dos monitores Priscila Pereira, Zenilda, Magali, Lidiane, Natália, Josivaldo e Poleanderson.
Tudo confeccionado à base de jornais e, também, feitos a partir de embalagens de xampus, desodorantes e outros cosméticos. Objetos que, a olhos vistos e sem explicações adicionais, disfarçam naturalmente suas origens. Até porque, a depender da preservação, chegam a exalar perfume, dotando cada peça de um aroma específico.
Tão inovadora quanto suas ideias de produção, estão as formas de comercialização. “Não vendo minhas peças, apenas repasso o conhecimento às pessoas para que elas melhorem a renda de suas famílias”, afirma.
Vestidos de jornal e embalagem de xampu são destaques em desfile
Djenane Costa altera a vida de pessoas carentes, que podem melhorar suas vidas a partir do reaproveitamento do que antes era descartado. Assim, exercendo habilidades e contribuindo com o meio ambiente, os alunos vendem artigos a preços atraentes para os padrões atuais. “Elas vendem brincos e anéis a R$ 50 centavos”, garante a monitora.
O trabalho da artesã e psicopedagoga Djenane Costa chamou a atenção de um grupo de educadores na cidade de Arapiraca.
Ela foi convidada recentemente para produzir dois vestidos, sendo um feito com jornais e outro com embalagens de xampu.
As peças foram apresentadas durante o desfile dos 87 anos da emancipação política do município. Duas belas garotas vestiram as peças, que atraíram os olhares de milhares de pessoas que acompanharam a festa.
“Primeiro, colocamos um molde e, em seguida, aplicamos os jornais sobre a peça. Outro detalhe é que tudo é impermeabilizado e a pessoa pode usar o vestido na rua e até em dia chuvoso que não estraga”, esclarece.
O destaque das peças rendeu à artesã um convite para participar de um projeto de inserção social de famílias que moram na comunidade de Mangabeiras, na periferia da cidade. No local vivem dezenas de famílias de catadores de lixo. “Achei a ideia maravilhosa. Estou ansiosa para levar o projeto para essas pessoas, com o objetivo principal de promover a consciência ambiental e a geração de renda”, acrescenta Djenane Costa. (Colaboração: jornalista Mônica Nunes)
sta Mônica Nunes)

Djenane motivou e transformou a vida de comunidade carente a partir da reciclagem (Davi Salsa)


Um comentário:

  1. parabems pelo seu trabalho que deus te abemsoi,maria de são miguel

    ResponderExcluir

Seguidores